Startups, essa é pra vocês: vem aí a aceleração do Copel+

O programa Copel+ inicia uma nova etapa.

Nela as startups que já atuam no mercado poderão se inscrever para participar da fase de aceleração. As inscrições são direcionadas a empresas com potencial para desenvolver soluções para os desafios do setor elétrico, com acesso a mentoria especializada e possibilidade de acesso a um fundo de pesquisa e desenvolvimento no valor de R$ 10 milhões.

Como funciona?

O programa Copel+ tem duas frentes:

  • Uma para formação de startups a partir de ideias de estudantes universitários, que estão desenhando seus projetos até a validação de um modelo de negócios,
  • Outra voltada a empresas que já venham do mercado, que contempla um plano de aceleração a ser desenvolvido em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), do Sistema Fiep.

Para a aceleração, a Copel e seus parceiros no programa, PUCPR e Sistema Fiep, selecionarão 3 startups que apresentem soluções inovadoras e com potencial de impacto positivo no mercado para serem incubadas e aceleradas.

Etapas da aceleração

O plano de aceleração acontecerá com base em metodologia exclusiva do Sistema Fiep, dividido em quatro etapas:

  • Arranque,
  • Crescimento,
  • Consolidação, e,
  • Liberação.

As etapas contemplarão consultoria por parte das parceiras e entregas por parte das startups, resultando na criação de produtos ou serviços que atendam às demandas do setor elétrico e na avaliação das empresas para graduação com base na matriz BCG para o mercado.

Benefícios

As startups que apresentarem resultados alinhados com estes fatores, e que demonstrem poder se beneficiar de projetos de pesquisa nos moldes do programa P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), terão acesso a um fundo de P&D no valor de R$ 10 milhões.

O programa proverá mentoria especializada e é equity free, ou seja, não exigirá um percentual das empresas em troca da aceleração.

A Copel qualificará a startup para estruturar um projeto de pesquisa e auxiliará na busca por institutos de ciência e tecnologia interessados em figurarem como parceiros tecnológicos do projeto. Nesta modalidade, a propriedade intelectual da pesquisa necessariamente será da Copel para atender aos requisitos do programa P&D Aneel, porém, a Copel garantirá uma licença de uso das tecnologias e patentes desenvolvidas para a startup que desenvolver projetos de pesquisa. Durante esse processo, as startups selecionadas também terão a oportunidade de licenciar outras tecnologias e patentes desenvolvidas pela Copel.

Regras

Podem participar empresas nascentes ou spin-offs – startups – com no mínimo 6 meses de CNPJ, devidamente constituídas, que tenham produto, serviço ou processo inovador, com sede no Brasil e instituída conforme a legislação, entre outros critérios – que devem ser lidos com atenção em edital específico.

Inscrições

Até 13 de outubro de 2019.

O resultado das selecionadas será divulgado em 18 de novembro.

A etapa de aceleração acontece entre 19 de novembro de 2019 e 18 de maio de 2020.

 

Inscreva-se